MAPA ASTRAL

sábado, 26 de outubro de 2013

1470 POLÍTICA DE BENEFÍCIOS


Flexibilidade ganha peso nos pacotes

O benefício flexível é a política mais avançada de gestão, afirma Rossane Pereira, vice-presidente do Grupisa. Ela lembra que, anteriormente, o plano de benefícios era voltado para a faixa salarial. Atualmente, as empresas estão abrindo para as pessoas escolherem os benefícios. Para Rossane, hoje, os benefícios têm forte peso forte na atração e retenção dos talentos e os profissionais chegam a repensar a carreira em prol deles.

"A previdência privada, por exemplo, consegue atrair e manter. Se o funcionário pensa em sair da empresa, a perda do plano pode fazê-lo desistir; para quem quer entrar, é atrativo", explica. Pianucci, da HP, concorda. O diretor acredita que a remuneração indireta é um dos fatores que mais retém e motivam, mas as estratégias de retenção e motivação não devem ser baseados somente nela. A gerente de desenvolvimento e retenção de talentos do Ibope, Vivian Broger, é da mesma opinião. Para ela, um bom plano de benefícios alinhado aos melhores do mercado atrai, retém e motiva os funcionários. "Sem dúvida um bom plano é atrativo para os melhores profissionais", afirma.

Assim como a executiva do Ibope, Rossane, do Grupisa, lembra que o desenvolvimento profissional, com subsídios para educação, em um futuro próximo deve fazer parte do pacote de benefícios da empresa. Hoje, ela afirma, esses investimentos ainda não têm conotação de benefícios.

A mesma filosofia é aplicada na Boehringer Ingelheim. A gerente de RH, Elisabete Vertematti Guimarães, afirma que a oportunidade de desenvolvimento na empresa é um diferencial. "A empresa é conhecida por oportunidades fora do Brasil, com intercâmbio internacional. Nacionalmente, damos subsídio para MBA", explica. Elisabete diz que a política usual de remuneração pode e deve andar ao lado do programa de motivação, mas também deve ser alinhado a outras práticas da empresa. "As políticas são modernas e alinhadas às necessidades dos profissionais. Os benefícios promovem condições favoráveis para que os empregados não se preocupem, por exemplo, com questões de saúde".

Na Dow Química, o programa de benefícios também tem como um dos focos o aprendizado. O diretor de RH para América Latina da Dow, Vicente Teixeira, afirma que o programa de benefícios é um dos responsáveis pelo baixo rotatividade de empregados na empresa, em 2% ao ano. Há nove anos nas listas de melhores empresas para se trabalhar, Teixeira acredita que a empresa é reconhecida pelo mercado por sua política agressiva de benefícios e salários.

Um bom plano de benefícios reflete a imagem da empresa, afirma Rossane, do Grupisa. "Sem dúvida, o plano de benefício oferecido faz com que o mercado entenda que é uma empresa que olha as pessoas e para a gestão de gente. A empresa só inova, cresce e produz com pessoas. Tecnologia hoje virou commodity", considera.

Nenhum comentário: