MAPA ASTRAL

sábado, 3 de maio de 2008

578 UNIVERSIDADE HOLÍSTICA

Bem, mesmo nós, terapeutas ficamos, às vezes, com uma espécie de – com permissão de Nélson Rodrigues – ‘complexo de vira-lata’. O que somos nós terapeutas? Não somos psicólogos, médicos, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, psicopedagogos, enfermeiros, ah! também não somos massagistas, prostitutos, professores, esteticistas... Ora o que somos? Somos muitos, somos milhares, já formamos uma ‘classe’, somos uma categoria profissional, temos sindicatos, estamos nos organizando mais e mais, mas o que somos? O que falta para respondermos de cabeça erguida, sem hierarquizações nem títulos de submissão (‘alternativos’= outsider, marginal; complementar=não principal, subordinado). O que falta em nossa voz é o que falta para que o tal Programa Holístico de Saúde Coletiva, proposta que apresentei no último artigo ‘A Crise da Saúde é a Crise da Concepção de Saúde’ (Mercúrio, № 1), deixe de ser uma utopia – obrigado aos que me alertam! – e possa se tornar um dia uma realidade que todos nós possamos construir e gozar é justamente o que legitima qualquer categoria profissional: o cuidado, o zelo na formação de seu profissional, na sistematização do saber, de modo que este possa vir a ser pesquisado, revisto, aprofundado, escrutinado e, enfim, exaustivamente testado e por fim transmitido. Quisera eu houvessem aqui no Brasil como em Londres e outras cidades européias e mesmo norte-americanas, Universidades de Homeopatia para não médicos, Astrologia, Terapia Holística, Acupuntura, etc. O que falta para termos voz, cara, alma, coração, enfim uma identidade é um curso de graduação, de Terceiro Grau, que legitime nossas atividades e legalize o profissional terapeuta holista. Não quero combater nenhum Mal, até por que ‘evito qualquer relação com pessoas de temperamento sórdido’... Mas não podemos mais aceitar o que aconteceu na Universidade Estácio de Sá.

Nenhum comentário: