MAPA ASTRAL

quinta-feira, 10 de abril de 2008

520 REMÉDIOS NATURAIS PARA A PRÓSTATA

Remédios naturais para combater os males da próstata.

As plantas medicinais vêm sendo casa vez mais usadas no tratamento de doenças da próstata. Na Europa as terapêuticas de origem vegetal também são amplas e uma grande parte dos tratamentos disponíveis para próstata são fitoterápicos. Na Alemanha, mais de 50% dos urologistas preferem agentes de origem vegetal em lugar de produtos de origem sintética no tratamento das doenças da próstata.

Os principais fitoterápicos utilizados são os seguintes:

Saw Palmetto - O saw palmetto (Serenoa repens, Sabal Serrulata) tem se destacado mundialmente no tratamento médico da Hiperplasia Benigna da Próstata como atestam numerosos trabalhos científicos realizados nos Estados Unidos e Europa.O extrato do saw palmetto previne a conversão de testosterona em dihidrotestosterona. A maioria dos pacientes começou a apresentar melhora nos sintomas já no primeiro mês de tratamento, sem os efeitos colaterais do medicamento sintético (queda de pressão arterial, dor de cabeça, tonturas, fraqueza e distúrbios sexuais).

Urtiga - Estudos científicos atestam que a urtiga (urtica dióica) melhora os sintomas urinários (redução do fluxo urinário, esvaziamento incompleto da bexiga, gotejamento no final da micção, aumento do número de micções etc). Estudos feitos em laboratório demonstraram que a urtiga pode ser empregada com sucesso na redução do crescimento de células prostáticas.

Pygeum - (Pygeum africanum) Análises científicas e estudos farmacológicos apontam no extrato do pygeum três categorias de princípios ativos: os fitosterois, inclusive o beta-sitosterol, de efeitos anti-inflamatórios sobre a formação de prostaglandinas pro-inflamatórias que tendem a se acumular na próstata; os terpenos pentacíclicos de efeitos anti-edema e descongestionante; os esteroides que reduzem os níveis do hormônio prolactina e bloqueiam o colesterol na próstata.

Pólen e Própolis - O pólen é rico em hormônios vegetais e enzimas que atuam sobre a próstata. Os hormônios vegetais não tem efeitos colaterais e tem a surpreendente faculdade de regular as glândulas endócrinas. Diversos estudo comprovaram que o extrato de pólen tem efeito profilático no tratamento de adenomas e inflamações da próstata. Com mais de 200 compostos químicos já identificados, própolis reduz a inflamação crônica da próstata. Estes compostos possuem diversas atividades fisiológicas, tais como antimicrobiana, antiinflamatória, antioxidante, antiviral e antitumoral.

Uva ursi - (Arctostaphylos uva-ursi) Esta erva combate as infecções das vias urinárias, cálculos urinários e inflamações crônicas renais, além de inflamações na boca, garganta, intestinos e órgãos genitais, inflamações crônicas da próstata e uretra, diarréias e disenterias, cistites e catarros vesicais.

Nenhum comentário: