MAPA ASTRAL

sábado, 11 de agosto de 2007

49 POÉTICA TAOÍSTA

Vale Sagrado - Fronteira Peru/Bolívia

"No vale, a fertilidade

do outono.

Onde está a realidade?

No abandono"

Li Tse

O vale na poética taoísta é a exaltação do vazio.

O abandono representa o esvaziamento do Ego.

O vazio do vale, Yin, receptivo,

gera sua fertilidade, que no Outono

é apenas uma semente, então,

uma fertilidade 'vazia' que eclodirá no Verão.

Da mesma forma, em sua Jornada Espiritual

o indivíduo precisa de um primeiro passo,

que, para o Tao, consiste na concepção de que

a verdadeira realidade espiritual só pode ser alcançada

por quem abandona seu Ego, posto que, o "Homem Sábio

é como um barco vazio"... Vazio de Ego.

Assim: Vale, Fertilidade do Outono, e Abandono = Vazio, vazio de si - a ponte para o contato com o Eu Espiritual; e tbm vazio criativo, gerador da realidade sensorial a partir do Nada (Vazio) e propiciador do Eu Espiritual a partir da matéria. Posto que opostos complementares, base alquímica do conhecimento da vida.

Nenhum comentário: