MAPA ASTRAL

quarta-feira, 1 de agosto de 2007

36 MAPA ASTRAL DE GANDHI

Algumas considerações interessantes acerca deste mapa:
Gandhi era libriano com Ascendente em Libra, Sol na casa 12
Libra o signo da harmonia e do pacifismo, com a força transcendente deste Sol na 12. Além de pacifista foi um mestre espiritual, um humanista que deixou um legado de paz. Netuno em Áries na sexta casa, corrobora esse desarmamento e a prática espiritual como algo intrínseco ao cotidiano.
No Meio-do-Céu em Câncer, alguém cuja missão de vida iria transformar significativamente sua pátria. A presença de Urano ao lado do Zênite confirma que seus ideais são libertários... um ser que com a mensagem da não-violência e seguindo a cartilha de desobediência civil de Thoureau, conseguiu a independência de seu país. A Lua em Leão nesta 10ª casa fortalece seus vínculos com sua Índia e seu povo, como sua imensa popularidade atesta. Essa posição indica ainda um grande líder popular, um ser que seu próprio povo denominou Mahatma.
A conjunção Júpiter-Plutão revela todo o carisma e poder psicológico deste indivíduo em oposição com Vênus-Marte, mostra um ser em processo de profunda transformação que não poderia de nenhuma outra forma - sendo até mesmo radical - usar seus talentos e energia exclusivamente visando a satisfação pessoal. Nesse caso, Saturno na dois reforça esse caráter estóico, de um saddhu, um renunciante que não precisa de nada além daquilo que lhe garanta a sobrevivência e uma vida simples.
Mas aqui também está o signo de sua morte, nessa combinação: conjunção Júpiter-Plutão entrando na casa 8 - a casa associada à morte na astrologia - em oposição à conjunção Vênus-Marte em Escorpião: Vênus regente da sinistra casa 8 conjunto a Marte, planeta da violência, ambos em Escorpião, o signo da morte... mas se ele atraiu essa experiência cármica para libertar a si mesmo de suas próprias questões espirituais ele garantiu que a lição seria bem executada pois quando o sujeito lhe apontou uma arma, ele disse: "eu te perdôo". O homem então atirou no Mahatma e em seguida caiu em prantos...
Mas Mahatma Gandhi já havia cumprido sua missão subjetiva - transformar a si mesmo, sutilizando seu ser - e objetiva - libertou sua pátria e milhões de irmãos... então havia chegado a hora dele virar Mito, um Gênio Humano, como Júpiter e Plutão, um Mahatma...
Se em outros séculos
os arautos do Amor
morreram em cruzes
fogueiras
e no esquecimento
no século XX
eles morreram à bala

Um comentário:

glob, sujeito meio humano disse...

Oi Tino.. Parabéns pelo seu Blog! Muito legal acompanhar o seu conteúdo diferenciado e extremamente generoso ao nos doar sabedorias fundamentais para a busca essencial de cada um. Auxiliando no auto-conhecimento da galera!!! Valeu, adorei! Estarei por aquí aprendendo com vocês.. Estamos também no www.globalaio.blogspot.com.
Lá vc tem uma homenagem ao nosso Brasilzão da Copa das Américas! Luz e prosperidade à todos! glob